Digite o assunto que deseja pesquisar

Letramento em Programação

A iniciativa

O século 21 exige que as novas gerações dominem múltiplas linguagens, inclusive a linguagem computacional. Só assim, as crianças e jovens poderão ser mais do que usuários de tecnologia, mas criadores de tecnologias capazes de atender às novas demandas do mundo e transformar realidades. Para isso, esta solução busca promover o letramento em linguagens de programação voltadas para o desenvolvimento do pensamento computacional em estudantes de escolas públicas do ensino fundamental, contribuindo para sua educação integral.

Como funciona

Por meio da formação de educadores, a proposta amplia a inserção dos alunos no universo digital utilizando ferramentas gratuitas de programação computacional. Além da prática da programação, os alunos e educadores desenvolvem, de maneira integrada, competências cognitivas e socioemocionais fundamentais para a vida no século 21, como criatividade, resolução de problemas, colaboração e persistência.

 

Resultados

Desde sua criação, em 2015, a solução já chegou a mais de 700 estudantes, em quatro municípios, por meio da formação de dezenas de educadores que puderam expandir suas competências e impactar ainda mais escolas. Além do desenvolvimento de habilidades computacionais e outras competências necessárias para a vida no século 21, a proposta vem aumentando o engajamento dos alunos com a sua educação, contribuindo para a sua aprendizagem em todas as áreas.

Onde o programa acontece

Ensino Fundamental I

Nessa etapa de ensino, o programa atende 172 estudantes matriculados nos 4º e 5º anos.

Ensino Fundamental II

Ao todo, 192 alunos matriculados entre o 6º e o 9º anos participam das atividades do programa.

CRAS São Francisco

A Centro de Referência em Assistência Pessoal participa do programa com 76 estudantes.

O que é Letramento em Programação?

O objetivo dessa iniciativa é atingir interessados em aprender mais sobre a temática e levá-la para a sala de aula. O programa não exige conhecimentos prévios em tecnologia. Professores de todas as disciplinas podem participar.

 

O programa busca facilitar o processo de aprendizagem da linguagem em programação através de formações de professores, que podem ser de qualquer disciplina. O objetivo é proporcionar a eles a vivência e a compreensão do pensamento computacional e oferecer recursos para que possam incorporar e integrar conceitos e práticas em sua atuação na escola.

No modelo implementado em Itatiba (SP), não foi exigido dos educadores envolvidos conhecimento prévio sobre computação ou informática. Pelo contrário, o objetivo é atingir interessados em aprender mais sobre a temática e levá-la para a sala de aula. O programa busca identificar profissionais que desejam aprender novos conteúdos e atuar no papel de facilitador: alguém que não detém todo o conhecimento, mas que está disposto a facilitar o aprendizado dos alunos e aprende junto com eles.

A formação de educadores para o Letramento em Programação tem como objetivo capacitá-los para atuarem na condução das atividades propostas pelo programa e para se apropriarem do conteúdo trabalhado, impactando também nas outras disciplinas em que atuam. Ao todo, são cinco módulos formativos, realizados em reuniões presenciais e também através de ambiente virtual de aprendizagem. Após o 2º módulo, os educadores passam a incorporar as sugestões de atividade em sala de aula. O programa contempla 30 horas de formação.

Além da formação, o programa Letramento em Programação também promove outras atividades para engajar educadores e estudantes. Nesse sentido, ações estratégicas são realizadas para que públicos não envolvidos diretamente com as atividades sejam impactados pelo projeto. Entre elas destacam-se a promoção da Hora do Código nas escolas em novembro de 2015 e 2016, para que mais membros da comunidade escolar fossem introduzidos ao tema e uma parceria com a Universidade São Francisco (com campus em Itatiba), aproximando a comunidade acadêmica tanto da educação básica quanto da temática do pensamento computacional. 

Uma ação pontual desenvolvida pelas três partes (Instituto Ayrton Senna, Prefeitura de Itatiba e Universidade São Francisco) foi o Scratch Oscar, uma feira onde os alunos expuseram e foram premiados pelos projetos desenvolvidos no Letramento em Programação, apresentando também à comunidade do município e região um pouco do que tem sido desenvolvido.

No final de 2016, o programa também promoveu a realização do Tech Oscar, uma premiação que reconhece estudantes e educadores de Itatiba que participaram do programa ao longo do ano.

Comentar
Mensagem
Comentários